Águas de Marx

Águas de Marx_P2.jpg
imagem: Cassiano Rodka

por Clarice Casado

Mais um para a Marcella Marx, que me desafiou a escrever um poema sobre um verso de Mia Couto. Ei-lo, amada amiga: não sei, porém, se faz jus à tua prosa.
(“Porque o amor é esquivadiço. A gente lhe monta casa, ele nasce no quintal.”
Mia Couto)

Escondidinho na gaveta,
mora o teu amor.
Sabes trancar-lhe bem,
porque temes que,
se um dia escapar-te,
vai te virar do avesso,
vai te levar à lua,
vai te pôr em êxtase,
vai te mostrar um lado
que te recusas a ver:
o lado que te falta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s