Memórias mínimas

Memórias mínimas_P2.jpg
imagem: Cassiano Rodka

por Clarice Casado

“The moment is constant. The moment seizes us.”
(cena final do filme Boyhood)

balanço de pneu amarrado na árvore grande da casa de Cruz Alta (medo de cair).
filmes em super 8 (parede de lembranças).
manhãs geladas de inverno, pijama por baixo do uniforme (café da manhã em silêncio).
churros de doce de leite na porta da escola (em segredo).
cuca na padaria da esquina na hora do recreio (liberdade adolescente).
jazz tocando na sala, luz de abajur, jantar de sábado (Barros Cassal, 278/67).
churrasco, conversas animadas, crianças brincando (Bordini, 28).
kit kat na hora de estudar direito penal (saudades de comer sem culpa).
manteiga com sal (primeira liberdade significativa da vida adulta).
seleção de cinco filmes todas as noites. (poder assistir até o fim, sem sono nenhum).
dormir até tarde no domingo (silêncios pré-maternidade).
acordar às seis da manhã todo domingo, cheirinho de bebê (delícias da maternidade).
fantasia de homem-aranha, fantasia de Bob Esponja (fotografia da felicidade absoluta).
beijinhos em cada dedo da mão (vínculo).
olhos azuis, cachinhos e joaninhas (voando na minhas lembranças, me afagam).
conversas e trocas no carro (música, cinema, religião, ciências, política, a vida – e quem disse que crianças não podem discutir sobre tudo?)
partidas de tênis, aulas de natação, espetáculos de dança e música, mostras de arte e literatura, festas juninas, idas ao cinema, consultas médicas, consultas odontológicas, passeios no parque, festinhas de aniversário, leituras para dormir, passeios na imaginação (ah, a passagem do tempo…).
perfeitas noites gastronômicas (porque amar é alimentar).
histórias dos meus alunos (em detalhes).
confidências com as pessoas que fazem diferença na minha jornada (alimento da amizade).
poemas e mais poemas, textos e mais textos, palavras e mais palavras (minha alma no papel).
festas e amigos-secretos de final de ano (resumos de família).
momentos especiais em diversos lugares do mundo (porque é só isso que importa, no fim das contas).
E há quem diga que minhas memórias sejam mínimas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s