Poema da possibilidade

poema-da-possibilidade_p2
imagem: Cassiano Rodka

por Clarice Casado

“…
é preciso estar sempre bêbado
é preciso ler Baudelaire
é preciso colher as flores
de que rezam velhos autores.”

(Carlos Drummond de Andrade, “Poema da necessidade”)

Pequenas coisas podem se tornar essenciais.
Não é exatamente o tamanho, mas o significado, a intensidade.
Onde se afogam as estrelas,
guardam-se os momentos mais inteiros.
O ocaso da primavera engoliu-te,
como o universo comprime o homem.
De tantos retalhos, apenas um colorido imaginário.
Devolve-lhe tudo:
desde a alma, até a escuridão.
Recolhe os cacos, minúsculos retratos,
espelhos sem reflexos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s