O ritmo de cada um

ritmodecadaum_P2.jpg
imagem: Ana Nitzan

por Marcella Marx

Almocei ao lado de um homem que deveria ter mais de 80 anos. Magro, cabelos brancos, óculos, aliança no dedo. O rosto e as mãos cheias de manchas marrons. Vestia uma roupa azul marinho, calça social e japona. A gola da camisa listrada e da blusa de lã cinza à mostra. Sapato social preto com fivela de prata. A bengala de madeira descansando na cadeira a sua frente. Todas as outras pessoas desacompanhadas se sentaram em frente à televisão, ele se sentou em frente à janela.

Eu cheguei em minha mesa e ali ele já estava, eu terminei meu almoço e ali ele permanecia, dando suas garfadas em um ritmo contínuo. Cortou os tomates em pedaços minúsculos e os separou das sementes, ma-s-ti-go-u em pequeníssimas porções. Em um momento, parou e retirou do bolso um lenço de pano listrado, o utilizou e tornou a guardar. Observando o ir e vir da rua, fez uma montanha perfeita com o arroz e o feijão, cobriu com árvores de brócolis e, por cima, fez correr o rio de azeite de oliva. As pessoas a sua volta, levantavam e outras tornavam a se sentar. Um jovem casal pediu um misto quente e rapidamente partiu. Eu me demorei o mais que pude, até que também tive que ir, não sem gratidão por aquele estranho que me lembrou o valor do tempo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s