Crônicas de viagem – Nova Zelândia: ilha sul, recomeço

Crônicas de viagem - Nova Zelândia ilha sul, recomeço_os manifestantes_P2.jpg
imagem: Ana Nitzan

por Marcella Marx

Atravessamos o “Cook Strait” e desembarcamos em Picton, uma pequena cidade, onde nos perguntamos: Será que moraríamos aqui? A resposta foi se tornando mais e mais clara conforme subíamos a pequena serra margeando a costa, com praias belíssimas e bem escondidas. Com uma vontade imensa de parar a cada 10 minutos, continuamos até Kaiteriteri. De lá visitaríamos de barco o Parque Nacional Abel Tasman. Em cada um dos campings que ficamos, e lá não foi diferente, encontramos muitas famílias, de lugares diferentes do mundo. Mas algumas nacionalidades eram sempre frequentes. israelenses, franceses e alemães, pareciam estar em casa. Preparavam jantares dignos de respeito e também um pouquinho de inveja. Muitos casais carregando seus bebês nas costas e crianças pequenas que se divertiam com muita simplicidade, como há muito tempo não via. Que alegria lembrar que na barraca não tem tomada! As horas claras do dia eram para brincar e ajudar nas tarefas e as horas escuras para dormir. Simples assim.

De barco, no dia seguinte, fizemos o trajeto inteiro do Parque Nacional Abel Tasman e decidimos fazer uma única parada, muito especial: Te Pukatea. Uma pequena praia aonde se chega por uma trilha curta e cheia de “ferns”, as samambaias, símbolo da Nova Zelândia e dos recomeços.

Continua.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s