Poeminha do menino doido

Poeminha do menino doido.jpg
imagem: Cassiano Rodka

por Clarice Casado

Quando olho pelo retrovisor,
quem avisto ainda é um menino de três anos,
de óculos escuros, cantando e dando risadas.
Hoje, não o reconheço mais,
porém sei que
em algum lugarzinho secreto de seu ser,
ainda se esconde o menininho.
Tão escondido, que nem ele deve saber onde.
Mas ali está, disso estou certa,
Porque aprendi a ler seu olhar.
Hoje, há momentos em que qualquer palavra minha
parece ferir-lhe de morte –
Escolho calar-me, então.
Ele também, de regra, recolhe-se em sua concha.
Sigo, obstinada, tentando ler seus silêncios.
E quase sempre consigo.
O deixo, assim, amadurecer.
O que me move
é saber que o meu menininho um dia vai voltar,
na pele de outro menino:
aquele que o meu menininho
um dia há de criar.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s