The Heavy – The Glorious Dead

theheavy-promoshot1_p2

por Cassiano Rodka

Desde que escutei pela primeira vez o single “How You Like Me Now?”, venho dizendo a todos que conheço que o The Heavy é a melhor banda do mundo na atualidade. Nesta terça-feira, os caras liberaram as faixas do seu novo álbum para audição no site da Billboard e eu só tive mais motivos para continuar afirmando: The Heavy é o que há!

“The Glorious Dead” é o terceiro disco dos ingleses e pode ser o trabalho que finalmente vai fazer o grupo cair nas graças do grande público – algo que, para mim, parece inevitável. As melodias soulrockers do vocal de Swaby complementam belamente os excelentes riffs de guitarra de Dan Taylor que cavalgam nos ritmos dançantes criados pela cozinha de Chris Ellul e Spencer Page. Rock, soul, funk, jazz, reggae, indie, hip hop, há de tudo um pouco no som da banda. Há certamente um sabor retrô nas composições, mas as referências antigas são relidas e trazidas para a contemporaneidade.

As novas músicas dão destaque ao funk, ao gospel e ao pop dos anos 60, deixando um pouco de lado o peso e a ampla variedade de gêneros musicais dos dois trabalhos anteriores. A guitarra não é o elemento principal nessas canções, dando maior evidência aos metais e às batidas. “The Glorious Dead” se mostra um álbum mais focado e com uma produção caprichada, mas não é necessariamente mais acessível que “Great Vengeance and Furious Fire” (de 2007) e “The House That Dirt Built” (de 2009).

O disco começa com o contagiante surf rock glam de “Can’t Play Dead”, com cordas e metais arranjados pelos Dap Kings, que já trabalharam com Sharon Jones, Amy Winehouse e Mark Ronson. “Curse Me Good” é uma balada acústica com um assobio memorável e um refrão bom de cantar, minha aposta para um próximo single. Falando em single, a próxima faixa é a primeira música de trabalho do disco, “What Makes a Good Man”, um funk rock com excelentes backing vocals gospel. Assim como o maior hit da banda, “How You Like Me Now?”, a canção também foi parar em um comercial. A música é trilha de uma propaganda da cerveja Miller, contando até com uma pequena participação dos integrantes da banda.

A faixa que segue é uma velha conhecida dos fãs, “Big Bad Wolf”. Ela costumava ser tocada ao vivo na última turnê e acabou sendo incluída em um EP em 2010. Mas a versão que aparece em “The Glorious Dead” é diferente. Os riffs de guitarra pesados a la Jimi Hendrix foram substituídos pelos metais dos Dap Kings, dando uma outra cara à canção. Apenas os vocais originais parecem ter ficado. Fiquei feliz em escutar uma nova (e bacana) versão para essa velha conhecida (meu toque de celular), mas confesso que prefiro a versão antiga. “Same Ol'” aparece em seguida com um ritmo funk lento e metais épicos no maior estilo Rocky.

“Be Mine” é uma das melhores, com orquestrações sensuais estilo James Bond, vocais suaves e uma batida hip hop meio Gorillaz. “Just My Luck” dá uma agitada no clima, carregada por um riff de guitarra bem Dan Taylor, trazendo um pouco do peso dos discos anteriores e culminando em uma caótica disputa de metais. A levada bêbada de “The Lonesome Road” tem ecos inegáveis de Tom Waits e o baixo de “Don’t Say Nothing” nos embala em uma deliciosa levada funk que deixaria James Brown e Stevie Wonder orgulhosos. Para fechar o disco, a banda capricha na faixa “Blood Dirt Love Stop”, um doo wop bacana com claras referências à Burt Bacharach – os backings no refrão remetem aos de “Walk On By”.

Se você ainda não se apaixonou pelo The Heavy, chegou a sua hora!

http://www.billboard.com/features/the-heavy-s-the-glorious-dead-exclusive-1007812352.story#/features/the-heavy-s-the-glorious-dead-exclusive-1007812352.story

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s