Indicados ao Oscar 2011 (parte 1)

Oscar 2011 parte 1.jpg

por Pedro Cunha

E então saíram os indicados ao Oscar 2011. Por mais polêmica, por mais clichê, por mais comercial e por mais cartas marcadas que seja a cerimônia da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood mobiliza o mundo inteiro. Sem mais delongas vamos aos indicados 2011 e aos meus palpites:

Melhor filme

Cisne Negro
O Vencedor
A Origem
O Discurso do Rei
A Rede Social
Minhas Mães e meu Pai
Toy Story 3
127 Horas
Bravura Indômita
Inverno da Alma

Desde o ano passado a Academia indica 10 e não mais 5 filmes ao prêmio de filme do ano. Nenhuma grande surpresa ou ausência nessa categoria. A Pixar conseguiu, pelo segundo ano consecutivo, emplacar uma animação entre os 10 mais do ano. “Toy Story 3” não tem chances reais de levar o prêmio de melhor filme mas, em compensação, deve sobrar na categoria Longa de Animação. “127 Horas” e “Bravura Indômita” são os filmes dos atuais queridinhos da Academia, Danny Boyle e os irmãos Coen. Boyle já venceu com o mediano “Quem Quer Ser Um Milionário”, em 2009, e os Coen por sua vez venceram em 2008 com “Onde Os Fracos Não Tem Vez” e tiveram nova indicação em 2009 por “Um Homem Sério”. As premiações que costumam ser a “prévia” do Oscar, como o Globo de Ouro, vinham apontando um caminho relativamente seguro para “A Rede Social”. O prêmio do Director´s Guild, no entanto, acabou com o elogiadíssimo “O Discurso do Rei”, que também ganha força para o Oscar. A crítica elogia bastante “Cisne Negro”, mas o filme é considerado “difícil” e “sério demais” (enfim, não sei o que querem dizer com isso…). Surpresas podem acontecer em função da maneira como a votação passou a ser feita, com cada votante ordenando os filmes de 1 a 10 e com todos recebendo pontuação. Algum filme que seja muito bem votado como segundo, terceiro ou quarto pode acabar pintando como azarão e levando a estatueta dourada do careca. Há fortes suspeitas que foi o que ocorreu ano passado com “Guerra ao Terror”. Meu palpite? Acho que fica entre “A Rede Social” e “O Discurso do Rei”. Para mim “A Origem” é melhor que “A Rede Social”, mas enfim… “Toy Story 3”, “Minhas Mães e Meu Pai” e “Inverno da Alma” seriam os azarões, e os outros todos seguem por fora…

Melhor diretor

Darren Aronovsky – Cisne Negro
David Fincher – A Rede Social
Tom Hooper – O Discurso do Rei
David O. Russell – O Vencedor
Joel e Ethan Coen – Bravura Indômita

O prêmio de melhor diretor costuma, logicamente, acompanhar o de melhor filme, apesar de já terem acontecido exceções. Essa categoria gerou passeatas, polêmicas, manifestações iradas e imolações de fãs indignados com a não indicação de Chris Nolan, o diretor de “A Origem”. Nolan é um diretor em ascensão e tem feito filme sólido atrás de filme sólido, e realmente foi surpreendente ele não ser indicado. Sinal de que “A Origem” dificilmente leva o prêmio de melhor filme. Tom Hooper ganhou o Director’s Guild e com isso também ganhou força para o Oscar, mas o favorito, na minha opinião, segue sendo David Fincher por “A Rede Social”, que nem de longe é o melhor trabalho do diretor de “Se7en”, “Clube da Luta” e “O Curioso Caso de Benjamin Button”. Pairam sobre Fincher acusações de que estaria “simplificando” o seu trabalho para cair no gosto da academia, como também faria Boyle, cujos filmes do começo de carreira (“Cova Rasa”, “Trainspotting” e até “A Praia”) eram bem mais contundentes e menos comerciais do que os atuais. Mas, enfim, é o mundo dos negócios de Hollywood. A crítica se derrete em elogios a Aronovsky, mas ainda acho difícil dele levar dessa vez.

Melhor ator

Jesse Eisenberg – A Rede Social
Colin Firth – O Discurso do Rei
James Franco – 127 Horas
Jeff Bridges – Bravura Indômita
Javier Bardem – Biutiful

Categoria das mais difíceis de prever. Todas as cinco atuações foram elogiadíssimas pela crítica. O Globo de Ouro ficou com Firth, que faz tempo superou o trauma de ser o namoradinho de Bridget Jones e pode usar isso como uma credencial para o Oscar. Eisenberg é a revelação da temporada. Bardem é um dos atores mais requisitados da atualidade, aliando boa técnica e suspiros das moças. Bridges ganhou no ano passado e segue em ótima forma. Franco tem um filme que é quase um monólogo, todo para ele. Realmente não sei para que lado apontar…

Melhor atriz

Nicole Kidman – Reencontrando a Felicidade
Jennifer Lawrence – Inverno da Alma
Natalie Portman – Cisne Negro
Michelle Williams – Blue Valentine
Annette Bening – Minhas Mães e meu Pai

“Cisne Negro” é um dos melhores filmes do ano, mas não deve ganhar nenhum dos prêmios principais. Seu prêmio de consolação deve ser a estatueta para Portman, cuja atuação (assim como a de Mila Kunis) tem comovido a crítica. Como Kunis não foi nem indicada acho que Portman leva, sem surpresas.

Melhor ator coadjuvante

Christian Bale – O Vencedor
Jeremy Renner – Atração Perigosa
Geoffrey Rush – O Discurso do Rei
John Hawkes – Inverno da Alma
Mark Ruffalo – Minhas Mães e meu Pai

Achei bem legal a indicação de Renner, que já tinha ido muito bem em “Guerra ao Terror”. Deve levar o Bale, que vem ganhando os prêmios e levando a crítica não só por esse trabalho, mas por uma carreira bastante sólida que o atual Batman vem construindo.

Melhor atriz coadjuvante

Amy Adams – O Vencedor
Helena Bonham Carter – O Discurso do Rei
Jacki Weaver – Animal Kingdom
Melissa Leo – O Vencedor
Hailee Steinfeld – Bravura Indômita

Categoria difícil para eu opinar já que ainda não vi nenhum dos filmes indicados. Das atrizes citadas a minha preferida é a Bonham Carter, sem dúvida, e teve em 2010 um ano com ótimas atuações, voltando à maravilhosa Belatrix Lestrange em “Harry Potter e as Relíquias da Morte Parte 1” e sendo a Rainha Vermelha, talvez a única coisa que se salve em “Alice no País das Maravilhas” do Burton…

Melhor longa animado

Como Treinar o Seu Dragão
O Mágico
Toy Story 3

Não tem nem graça. Os três filmes são bons mas Toy Story… faz marmanjos chorarem. É um filme sensível, é um filme bonito, passa mensagens bacana sobre amizade e valores. Leva e leva com justiça. “O Mágico” é uma animação estilo antigo e um primor para os olhos, com seu retrato de Edinburgo do ponto de vista de um velho ilusionista francês e uma jovem caipira escocesa. “Como Treinar Seu Dragão” é divertido, mas inferior aos dois. Fez-se justiça à sua sensacional trilha sonora, indicada na categoria.

Melhor filme em língua estrangeira

Biutiful
Fora-da-Lei
Dente Canino
Incendies
Em um Mundo Melhor

Categoria mais difícil, mais diferente e, muitas vezes, mais interessante do Oscar. Quem vai ganhar? Até agora não faço a mínima ideia. Conselho? Assista todos. Em geral não há filmes ruins entre os cinco indicados a filme em língua estrangeira…

E as categorias mais técnicas? Aguarde, que na próxima quinta eu comento. Me dá um tempo, vá, para assistir no cinema esses filmes bons que estão saindo por aqui só agora…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s