Desatino

desatino

por Clarice Casado

Sabe, eu te amo.
Demais.
Eu sei disso
porque fico perturbada ao cubo
toda vez que brigamos.
Minha vida para, simplesmente.
Não consigo pensar,
não consigo fazer.
não consigo ser.
Enquanto não se dissipar
a negra nuvem,
fico maluca.
Desoriento-me.
Consigo sentir o coração
dizendo manhas
e contando as feridas.
Imagino-me destacada,
não me reconheço.
Anseio pelo conforto
dos dias passados.
Acreditas em milagres?
Eu, rainha do acaso –
Afaga-me, apenas.
Não deixes que eu sofra
por todos os pedaços de ti.
Não me digas
que não entendes meus versos.
Machuca-me ouvir.
Sejas sempre tu,
mas não esqueças
de me incluir nas entrelinhas.
E assim, vou seguir te amando
(com ou sem desatinos)
sempre esperando que o gelo derreta.
Só queria que tu soubesses.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s