Como

como

por Marcella Marx

Às vezes me pergunto como foi que cheguei até aqui,
quando dei por mim o cachorro já havia morrido,
as crianças me cumprimentavam olhando para baixo,
a grande árvore em frente de casa havia sido cortada.
Às vezes me pergunto como foi que cheguei até aqui
quando olho para meu antigo quarto e vejo as prateleiras vazias,
a trepadeira que cobriu toda a parede do muro
e agora não enxergo mais a janela do vizinho.
Às vezes me pergunto como foi que cheguei até aqui,
quando me deparo com um anel na mão esquerda de minha amiga,
me assusto com as rugas no rosto de minha mãe
e vejo a pilha de livros de minha mesa aumentando.
Às vezes me pergunto como foi que cheguei até aqui,
quando acordo e, da cama, vejo a geladeira,
a hora que cheguei em casa do trabalho
e meu avô, que não colhe mais laranjas.
Às vezes me pergunto como foi que cheguei até aqui,
sem saber como.
E me dou conta de que é caminho sem volta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s