Ciranda

ciranda

por Clarice Casado

Há em nós guardada
uma dor
despercebida desenganada desesperada.
Que nos toma nos enche nos preenche
Nos pertence
Permanente
Em nós guardada
Não deixa
Não desaparece
Guarda-se
Em nós
Mantém-se
Por todos os lados
Em todas as frestas
Nas noites suadas
Em cada botão caído
Nas janelas escuras
Nos cadernos espalhados
Na noite crua
No instante
Tentamos fugir
Por toda a vida
Ainda assim
Ali fica
Ali mora
Em nós
Guardada
Despercebida
Desenganada
Desesperada
Dor.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s