O escritor sem a musa

escritorsemamusa

por Cassiano Rodka

O escritor sem a musa entra em desuso. Fica confuso. E sua escrita, um tanto obtusa. Com a musa, ele é profuso. Usa e abusa do sentido. Mas quando ela se recusa, ele entra em parafuso. E cai da cama, perde o fuso. Mas quando ela tira a blusa, ele ama e ele acusa. Escritor efuso. Faz da musa seu texto concluso. Um intruso da alma, um poeta recluso.

Ó, escuso criador deste mundo, ouça essa prece difusa e traga ao escritor uma musa que cale uma ópera de Caruso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s