Assim somos

assimsomos.jpg

por Marcella Marx

Ao Alê

És como vinho

te reservas, enquanto solta corro
e a cada novo ano, sabor realçado.
Perceptível aos sábios degustadores da safra.
Espalho-me em riachos
enquanto tu, em frascos te encerras.
Broto pronta e inquieta,
tu te demoras, aguardas,
esperando hora de vingar.
Não aguento e transbordo,
incansável, montanhas subo e desço.
Tu permaneces inalterado – salvo o sabor,
o qual cultivas como sabedoria.
Em meu caminho riscos enfrento,
tu os teus: amargura.
Sou tua inquieta admiradora
do cultivo à amplitude.
Aquela que passa querendo ficar,
e foge buscando vencer.
Tu tens-me decifrada, abundante.
De ti quase nada compreendo,
reconheço, pois suas nuanças:
aspereza, austeridade
e, o pouco, pelo aroma que exalas.
N’algum lugar somos irmãos,
permeados pela mesma substancia,
fluída, navegando em direção ao mar.

Somos como água.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s