Coração na mão

coracaonamao

por Cassiano Rodka

Ceifaram-me o coração. Sem dó ou piedade, arrancaram-no do meu peito. Não houve dor ou lágrima. E eu não morri. Ao contrário, senti-me estranhamente mais vivo. E quis vingança. Montei em meu cavalo, determinado em tê-lo de volta. Cavalguei várias terras e, por quase oito meses, enfrentei vários cavaleiros que nada tinham a ver com o tal furto cardíaco. E segui caminho, destruindo vilarejos, derrubando reinados, matando dragões. Até te encontrar. Ali num canto, sem se mover. Coração na mão, pingando no chão. Um rosto sereno, um sorriso leve e uma certeza, então. Não era inimigo o suposto vilão. Mas sim, o único a me estender a mão.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s