O circo

circo.jpg

por Cassiano Rodka

Se eu armo o circo, é pra te ver sorrir.
E banco o palhaço em troca de abraço.
E perco o cansaço em busca de bis.
Na corda bamba, um bobo insensato.
Na troca do ato, um tolo feliz.

Se eu caio na rede, é por não voar.
E piso no espaço com breve embaraço.
E teço o compasso com gosto de anis.
No erro do braço, um tropeço.
No traço tentado, um triz.

Se eu armo o circo, é pra te ver sorrir.
Se eu armo o circo, é pra te ver.
Se eu armo o circo, é pra ti.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s