Os pescadores

pescadores

por Cassiano Rodka

Nem por pesca, nem por dores
Que seguiram a remar
Encontravam-se perdidos
Nos diversos tons do mar

Seja marinho ou celeste
Claro, escuro ou de pintar
Tão azul era o caminho
E o barco, devagar

Em correntes de incerteza
Em marés de azar
Seguiam as pás remando
Sem sair do lugar

Mas quem sabe traga o vento
Novas rotas a traçar
Se mesmo o mar se reinventa
E o que resta é remar.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s